Saiba como reduzir custos com a gestão da manutenção

Saiba como reduzir custos com a gestão da manutenção

Algumas vezes, um elevado custo de manutenção é causado pela falta de organização prévia. Ou seja, manutenção corretiva emergencial não-planejada. Portanto, a manutenção preventiva, além de prolongar a vida útil de uma máquina ou equipamento, garante o seu funcionamento em condições semelhantes às que se encontrava ao sair da fábrica. Através do controle e monitoramento, com o propósito de diminuir ou até mesmo evitar possíveis falhas no desempenho das máquinas e aparelhos.

Além de um plano como esse, alguns conhecimentos e dicas postos em prática são essenciais para o mantimento dos equipamentos das fábricas. Logo, evita-se que a parada de um equipamento traga prejuízos ocasionados pela interrupção repentina da produção. 

Manutenção preventiva

Por exemplo, um plano de manutenção preventiva cria um planejamento antecipado e diminui chances de custos e perdas os quais poderiam ser evitáveis. Um retrabalho, por exemplo, é uma perda de tempo e gasto de esforço, até elevando o custo da mão de obra. Aliás, esse documento deve englobar somente procedimentos necessários para o processo; quando redundantes ou desnecessários, devem ser ignorados. Por demandar muito tempo, recomenda-se um plano de manutenção específico e em momentos sem produção.

As inspeções periódicas, típicas da manutenção preventiva, avaliam o processo de degradação de algum componente de um equipamento. Se possível, uma parada de manutenção pode ser necessária a depender das atuais circunstâncias do ítem avaliado.

Em casos de danos e paradas imprevistos com a necessidade de uma manutenção corretiva não planejada, obtenha um plano de manutenção emergencial. Nisso, os procedimentos a serem seguidos estão descritos para que tenhamos segurança dos trabalhadores, seguindo os passo a passos, procedimentos de segurança e instruções estabelecidas.

Armazenamento

Peças sobressalentes e ferramentas de manutenção armazenadas correta e organizadamente é uma prática capaz de agilizar o tempo de manutenção de uma parte do processo. Em referência a parte ferramental, obviamente, deverá ter uma boa qualidade para contribuição da agilidade e qualidade. Desse modo, as condições de bom funcionamento do equipamento são mantidas com maior facilidade.

Saiba mais sobre seu negócio e produção

Busque saber dos riscos externos que podem prejudicar a continuidade de seu equipamento, a preparação de seus mantenedores e outros funcionários. 

Os operadores, quando bem capacitados com seus serviços e atualizados com o mercado, ajudam na valorização da instituição. Aliás, atitudes prejudiciais inconscientes e viciosas podem causar prejuízos a longo prazo. Logo, pode-se iniciar um planejamento de relatórios e até o começo de um plano de manutenção.

Busque compreender a qualidade e a reputação que um fornecedor tem além do fator financeiro, pois seu serviço vai impactar dos resultados e qualidades no produto. Formas de pagamento, opinião de outras gestões e experiência de mercado contam como fatores na redução de custos.

Mapeie os custos correntes. Dessa forma, saiba quais podem ser reduzidos e sua origem. Esse controle deve ser contínuo para que a manutenção também seja, afinal, pontos de melhoria na operação podem ser identificados a fim de serem mudados em toda a empresa. 

Critérios de manutenção

Estes cálculos são importantes para a avaliação de um equipamento. São os indicadores da manutenção, isto é, avaliam o desempenho de um equipamento e do processo de manutenção:

  1. Tempo médio entre falhas (Medium time between failures): tempo disponível
Fórmula do tempo disponível

Através desse valor, a produção considera o tempo estimado médio que um equipamento se manterá em funcionamento até que uma falha ocorra novamente.

Some todos os minutos (ou horas, ou qualquer medida de tempo que preferir) no qual o equipamento estudado se mantém no funcionamento padrão. Divida esse total pelo número de vezes que houve as falhas. Então, chega-se ao tempo médio entre falhas.

  1. Tempo médio para reparos (Medium time to repair): tempo indisponível
Fórmula do tempo indisponível

Este valor nos diz que o tempo aproximado de cada máquina durante as atividades de manutenção.

Some o tempo de todas as falhas que aconteceram em um equipamento estudado. Divida pela quantidade de vezes de falhas.

  1. Disponibilidade
Cálculo para disponibilidade de um equipamento

Evidencia o período de tempo que uma máquina está disponível em um funcionamento normal para o trabalho de acordo com seu período total.

Quanto mais próxima de 100% for, maior o tempo de funcionamento normal aproveitado dentro do tempo de funcionamento da  máquina, objetivo da manutenção.

A partir desses dados depois de pesquisados, estabeleça metas para sua equipe.

Nós, da TM Jr., sabemos como é importante reduzir custos. Por isso, somos responsáveis pela confecção de um plano de gerenciamento de manutenção específico para cada situação abordada pelos nossos clientes. Solicite o orçamento de um plano de manutenção preventiva e seja contemplado com projetos de alta qualidade.

Gerenciamento da manutenção: reduza tempo e custos e aumento a sua participação no mercado
 

Deixe uma resposta