Prototipagem em Impressão 3D

Prototipagem em Impressão 3D

Após quase duas décadas do século XXI, a tecnologia já não nos assusta mais, no entanto, ainda nos surpreende. As crianças que brincaram com lego na infância jamais imaginariam que os famosos bloquinhos de plástico seriam tão úteis no futuro. Graças à impressão 3D, hoje é possível construir casas e prédios de maneira semelhante à que se fazia com os bloquinhos, mas, além disso, é possível utilizá-la para construir praticamente qualquer coisa, desde canecas até foguetes.

Criada na década de 1980, a impressão 3D teve sua ascensão para o mundo na década seguinte junto com os softwares de CAD, que seriam responsáveis por permitir a modelagem de peças mais complexas aumentando a sua aplicação. Nesse período, também realizou uma notável aparição no filme de ficção Jurassic Park, que em conjunto com o desenvolvimento das bioimpressoras, em 1999, pavimentou o seu caminho para o sucesso no século que estava por vir.

O século XXI veio e com ele a explosão do que pode ser considerado o símbolo da era 4.0. A impressora 3D passou a ser utilizada em larga escala para as mais diversas atividades, sendo estudadas possibilidades de aplicação dessa tecnologia até mesmo na criação de tecidos orgânicos, através das bioimpressoras que atualmente já conseguem reproduzir órgãos e próteses para transplante.

Apesar da aparência de complexa, devido às suas inúmeras aplicações, a técnica, de modo geral, é bastante simples. O processo conhecido como  Fused Deposition Modeling (modelagem por fusão e depósito) consiste em utilizar o desenho da peça pronta para a impressão da mesma, através da inserção do desenho no software da impressora, onde é realizado o ajuste das dimensões. Em seguida, o sistema compila os dados e os sistematiza em várias camadas, e então o injetor de matéria esquenta e suga o filete de material que está na bobina. Na medida que o material derrete, ele é injetado em uma base que se movimenta em duas direções, criando assim as camadas, e após o término de uma camada é realizado o mesmo processo para a construção da camada seguinte e das demais, até que a peça esteja concluída.

Conhecendo um pouco mais das aplicações e do funcionamento desta técnica, é possível compreender o motivo do seu sucesso nos mais diversos setores. No entanto, a sua utilização ainda possibilita outras vantagens, tais como: prototipagem com alto nível de detalhamento, ou seja, é possível imprimir peças complexas com grande nível de precisão; facilidade de armazenamento da matéria prima, que em geral são pós ou filamentos; além do baixo custo oriundo tanto da redução do tempo, pois é possível imprimir peças complexas de uma só vez, quanto da economia de maquinário, já que a mesma máquina pode ser utilizada para criar diversos tipos de peças.

Por ser tão vantajosa, essa técnica é ideal para o desenvolvimento de protótipos e a TM Jr., pode te ajudar com isso! E então, tem interesse em desenvolver algum protótipo? Não perca tempo, entre agora mesmo em contato conosco e tire já as suas dúvidas!

Deixe uma resposta